Santa Casa no Ar> Controlar fatores de risco ajuda a evitar doenças cardiovasculares

avcAs doenças cardiovasculares, líderes de mortalidade no Brasil, podem ser prevenidas minimizando ou eliminando os fatores de risco como sedentarismo, obesidade, tabagismo, hipertensão arterial e alto nível de colesterol. A expectativa da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) é de que as doenças do coração levem a óbito cerca de 350 mil brasileiros neste ano. A maior parte dessas mortes, no entanto, poderia ser evitada com a adoção de hábitos de vida saudáveis e atenção às prescrições médicas. O assunto foi tema do quadro Saúde Especializada do Programa Santa Casa no Ar, na última sexta-feira, 18. O entrevistado foi o médico cardiologista Lima Neto, que atua no Hospital do Coração.

O médico Lima Neto explicou que quando associamos os fatores de risco relacionados a doenças (hipertensão e colesterol alto) com sedentarismo, tabagismo e obesidade, há um quadro de síndrome metabólica, ou seja, um conjunto de doenças que aumentam o risco de problemas cardiovasculares. “A junção desses fatores leva no futuro às doenças do coração, principalmente o infarto”, ressaltou durante entrevista ao Programa Santa no Ar. O programa vai ao ar todas as sextas-feiras de 7h às 8h na Rádio Educadora do Nordeste AM 950. A apresentação é do jornalista Vanderley Moreira e do diretor do Departamento de Ensino, Pesquisa e Extensão (DEPE) da Santa Casa, professor Vicente Pinto.

O infarto, de acordo com o médico, é uma doença súbita e há um risco muito alto de mortalidade. O Acidente Vascular Cerebral (AVC) também tem alta mortalidade e pode ser evitado controlando os fatores de risco. “As estatísticas mostram que a cada pessoa que tratamos por infarto, uma morreu antes de chegar ao hospital”, ressaltou. Além disso, metade das vítimas vem a falecer na primeira hora. Uma das causas, de acordo com ele, ainda é o desconhecimento acerca dos sintomas da doença. Os sintomas em geral são dor no meio do peito, ou no precórdio, porção do corpo sobre o coração e à esquerda da porção inferior do esterno, ou uma opressão torácica. Em geral, a dor forte ocorre após um esforço físico vigoroso ou uma forte emoção. Além disso, algumas pessoas sentem os braços adormecerem ou sufocamento.

Para tentar evitar que ocorra o infarto, é preciso consultar o médico regularmente e estar atento à história familiar do paciente, mas também é imprescindível evitar os outros fatores, como o álcool, o fumo, a má alimentação e a falta de prática de atividades físicas. O cardiologista destacou ainda a dieta americanizada com fast foods e refrigerantes, além dos alimentos industrializados, que contêm altos índices de sódio. O sal em excesso pode ainda contribuir para o desenvolvimento da hipertensão arterial sistêmica. “É necessário uma dieta equilibrada, balanceada, com alimentos naturais e integrais, evitar refrigerantes e outros alimentos industrializados e ter na dieta três porções de frutas e verduras”, ensinou.

Foto: Agência Brasil

Veja Também